COMUNICAR MAIS OK
Inquérito

PGR se manifesta contra pedido de Aécio para desmembrar inquérito no Supremo

A manifestação foi enviada após a defesa de Aécio pedir o desmembramento das investigações.

10/02/2018 15h27
Por: Tony Santos
Fonte: G1
34
Foto: Reprodução
Foto: Reprodução

A procuradora-geral da República, Raquel Dodge, enviou manifestação ao Supremo Tribunal Federal (STF) na qual se posicionou contra o desmembramento de um inquérito que tem o senador Aécio Neves (PSDB) entre os investigados.

A manifestação foi enviada após a defesa de Aécio pedir o desmembramento das investigações.

Os advogados do senador querem que as apurações sobre os demais envolvidos – incluindo a irmã dele, Andrea Neves – sejam remetidas à primeira instância da Justiça e que somente a parte referente ao tucano fique no STF.

Ao Supremo, Raquel Dodge observou que a investigação ainda está na fase inicial, acrescentando que o inquérito deve prosseguir.

Além disso, a procuradora afirma que a produção de provas está ligada a todos os envolvidos e, por isso, não é possível o desmembramento.

O inquérito

O inquérito foi aberto para apurar a suposta prática de lavagem de dinheiro por parte de Aécio, além do suposto recebimento de vantagens indevidas pelo grupo J&F, controlador do frigorífico JBS.

Como parte do acordo de delação premiada, o dono da JBS, Joesley Batista, entregou em maio de 2017 um áudio de uma conversa dele com Aécio na qual os dois acertam o pagamento de R$ 2 milhões.

Na gravação, Aécio diz que o dinheiro servirá para pagar advogados que o defendem na Lava Jato. A PGR afirma que o dinheiro era propina.

Quando o áudio se tornou público, Aécio negou o recebimento de propina e afirmou que a única prioridade seria preparar a defesa e provar o "absurdo" das acusações.

Nenhumcomentário
500 caracteres restantes.
Seu nome
Cidade e estado
E-mail
Comentar
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.
Mostrar mais comentários
Ele1 - Criar site de notícias